Coca-Cola abrirá 2 mil vagas de emprego em fábrica na Baixada

A Coca-Cola aposta no Brasil e anunciou ontem investimentos de R$3,2 bilhões este ano. Esse número representa 10% a mais do que foi investido nos últimos cinco anos. Com prioridade o novo presidente da Coca-Cola Brasil, Henrique Braun, informou que nesses recursos está incluída a inauguração da fábrica em Duque de Caxias, na Baixada, ainda este ano. Para se candidatar as vagas de emprego, leia o artigo abaixo e descubra como se candidatar as oportunidades da empresa. #vagasdeemprego #oportunidadesvagasemprego #querotrabalhar.

A estimativa da companhia é de que sejam criados de 1.500 a 2 mil empregos diretos durante a construção da unidade, que está em andamento, e em torno de 500 novos empregos no começo da operação. Atualmente, a Coca-Cola emprega 69 mil pessoas no país. 

A Coca-Cola Andina Brasil, braço da multinacional no país, investiu R$ 1 bilhão no Rio na construção da fábrica em Caxias, em um Centro de Distribuição no Caju, na expansão da unidade industrial de Jacarepaguá, e na revitalização dos centros de distribuição de Bangu, Nova Iguaçu, São Pedro d’Aldeia e Campos dos Goytacazes.

Como me candidatar

Para conferir as oportunidades de emprego que a Coca-Cola oferece basta acessar a página da companhia na Internet (www.cocacolabrasil.com.br/trabalhe-conosco), depois clicar em vagas/Brasil.

Abrirá uma página em inglês (careers.peopleclick.com/careerscp/client_cocacola/external/search.do), mas todo seu conteúdo está em português.

Nela o candidato pode buscar as oportunidades e cadastrar o currículo no banco de empregos da empresa. As vagas para Caxias ainda não estão nesse link, mas vale ficar de olho.

O portfólio

A  estratégia mundial da companhia, segundo Marcos de Quinto, vice-presidente Global de Marketing da Coca-Cola Company, será a unificação da publicidade das versões da bebida, que agora têm nova uma “roupagem”. Todas agora levarão o disco vermelho característico da marca.

De acordo com o executivo, o objetivo da mudança foi passar a tratar as outras versões como variantes de uma mesma marca e não marcas distintas e levar o novo o portfólio — Coca-Cola Zero, com zero açúcar, como o próprio nome sugere, e Coca-Cola Stevia, que tem 50% menos açúcar que a tradicional “vermelhinha” — a todos os 207 países que a empresa atua.

A expectativa da companhia é que a nova Coca Zero e a Coca Stevia estejam em todos os pontos de venda do Brasil ainda este mês. A meta, segundo ele, é aumentar a distribuição do refrigerante em 50% em 2017.

A empresa lista como prioridade da companhia o projeto de sustentabilidade
Um dos pontos destacados durante evento em São Paulo pelo presidente da companhia no Brasil Henrique Braun, é o compromisso da companhia com as comunidades onde a empresa está inserida. Ele cita como exemplo a “devolução” à natureza do dobro de água que usa em seu processo produtivo, por meio de programas de reflorestamento e conservação de bacias hidrográficas e de eficiência e reúso nas fábricas.

Outra iniciativa é o programa Coletivo Coca-Cola, em que são oferecidos cursos gratuitos nas áreas de Varejo, Eventos, Logística e Produção; e Empreendedorismo para jovens de comunidades de baixa renda entre 15 anos e 25 anos de idade e que estão cursando ou tenham concluído o Ensino Médio.

Os cursos possuem duração de dois meses, com aulas que incluem atividades teóricas e práticas, além de usar um game que simula as rotinas de um mercado varejista.  O coletivo promove oportunidades econômicas desde 2009, em parceria com instituições locais. Aqui no Rio, por exemplo, uma das empresas parceiras é o Supermercado Prezunic.

Além de capacitar, o projeto também encaminha os jovens para processos de seleção em grandes empresas parceiras, além das fábricas do Sistema Coca-Cola Brasil. Mais informações podem ser encontradas em www.coletivococacola.com.br.

Faça sua pergunta?